Segregação sócio-espacial e protagonismo dos grupos subalternos: o caso dos catadores

Érica T. Vieira de Almeida, Fernanda Azevedo Cordeiro

Resumo


A conformação do espaço urbano responde, cada vez mais, ao processo de valorização do capital. As cidades têm se constituído em mercadorias agravando ainda mais o processo de segregação sócio-espacial e de reprodução dos trabalhadores. Esse movimento do capital não tem ocorrido sem resistência e protagonismo das classes subalternas, gerando conflitos públicos que tem demandado a presença da sociedade política em suas diferentes instâncias no gerenciamento desses conflitos. Este artigo analisa o caso dos catadores de recicláveis de um lixão e a sua luta pelo reconhecimento do direito ao trabalho e aos direitos sociais fundamentais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.