A face do Estado penal no monitoramento de pessoas: relatos de experiência

Maria Lucilma Freitas de Sousa

Resumo


Este trabalho tem como objetivo relatar a experiência de atuação profissional do Serviço Social com pessoas que se encontravam em cumprimento de pena em regime semiaberto e utilizavam tornozeleira eletrônica. Esse equipamento utilizado pelo judiciário é um dispositivo eletrônico que tem a função de monitorar a pessoa por vinte e quatro horas. A utilização desse tipo de mecanismo é uma das alternativas penais que o Estado passa a adotar para substituir o encarceramento em massa e evitar os danos causados pela prisão. Durante a experiência profissional foi possível compreender os impactos sociais que são gerados na vida desses sujeitos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.