Violência estrutural e seletividade homicida das juventudes brasileiras na atual crise do capital

Giovane Antônio Scherer, Cíntia Florence Nunes, Camila Bassôa dos Santos

Resumo


Em um contexto de crise do capital aliado à adoção do referencial neoliberal no âmbito das políticas públicas, vive-se o aprofundamento das desigualdades sociais com intensificação da violência estrutural, na qual as juventudes têm experimentado diversos processos de violação de direitos. Nesse cenário figura o narcotráfico, que tem ceifado vidas cada vez mais jovens em sua dinâmica perversa de poder, atingindo diretamente as juventudes pobres e negras, constituindo assim uma dinâmica de mortalidade seletiva.  Busca-se expor breves reflexões sobre a violação de direitos das juventudes, buscando demonstrar a necessidade de lançar luz à totalidade que permeia a vida desses jovens, a fim de qualificar as possibilidades de proteção a esse segmento social.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.