Perfil e relações de trabalho de trabalhadores dos CRAS no estado do Espírito Santo: política de assistência social precária e contratos precários

Lutz Franthesco da Silva Rocha, Jeane Andreia Ferraz Silva, Adelis Kauana Gonçalves Pereira

Resumo


Este artigo apresenta e analisa o perfil e as relações de trabalho a que estão submetidos os trabalhadores dos CRAS no Espírito Santo. Realizara-se pesquisa bibliográfica e documental, a partir do Censo SUAS 2015. Tais dados são disponibilizados pelo Ministério do Desenvolvimento Social, com informações acerca dos “Recursos Humanos” dos CRAS. Tal permitiu observar quanto os trabalhadores do SUAS sofrem os mesmos processos das relações e condições de trabalho dos demais na sociedade capitalista, com particularidades por atuarem no âmbito do serviço público, objeto da chamada contrarreforma do Estado, tão bem caracterizada por Behring (2002). Evidenciam-se, ainda, algumas estratégias do neoliberalismo para as políticas sociais, quais sejam, a privatização, focalização e descentralização.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.