Planejamento familiar e controle da natalidade no capitalismo

Leila Marchezi Tavares Menandro

Resumo


Objetivamos analisar o planejamento familiar, disseminado pelo mundo no século XX, e existente de forma oficial no Brasil desde 1996, evidenciando a sua funcionalidade no capitalismo e elucidando uma parte do instrumental utilizado pela burguesia como forma de controlar a natalidade das famílias. Para tanto, utilizaremos a pesquisa documental, destacando uma mídia feminista – o jornal Fêmea. Ao lutar pelos direitos reprodutivos das mulheres, o movimento feminista impulsionou a instituição do planejamento familiar no Brasil e acabou por auxiliar organismos internacionais a atingirem sua meta: o controle demográfico no país.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.