Mulheres quilombolas e divisão sexual do trabalho na sociedade contemporânea

Patricia Krieger Grossi, Simone Barros de Oliveira, João Vitor Bitencourt

Resumo


Estudo qualitativo, de natureza analítica e norteado pelo método dialético-crítico. Foram entrevistados homens e mulheres quilombolas e profissionais que atuam com quilombos no Rio Grande do Sul para identificar as relações de gênero na comunidade e a inserção da mulher quilombola no espaço público e privado. As entrevistas foram submetidas à análise de conteúdo de Bardin. As narrativas apontam para a forte liderança das mulheres quilombolas, o papel central na transmissão da história da comunidade, a ocupação crescente no espaço público, porém ainda são as maiores responsáveis pelas atividades domésticas e cuidado dos filhos. Conclui-se que a divisão sexual do trabalho é naturalizada e contribui para a jornada ampliada e intensificada da mulher, gerando uma sobrecarga.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.