Refúgio e assistência social: os limites da proteção no município do Rio de Janeiro

Tathiana Costa dos Santos

Resumo


O presente artigo é fruto de reflexões durante a disciplina Avaliação de Políticas Sociais do Programa de Estudos Pós- graduados em Política Social – UFF e da experiência profissional vivenciada em um equipamento público municipal do Rio de Janeiro- a URS Plínio Marcos, que acolhe homens adultos em situação de rua, onde foi possível a aproximação com o público refugiado. Trata-se de uma reflexão sobre os limites da política de assistência social enquanto política pública voltada para a garantia proteção social, a partir da realidade de um serviço de proteção especial de alta complexidade, em que a população refugiada ainda encontra alguns empecilhos no acesso a este serviço, apesar de previsto em normativa que a política de assistência social está voltada para quem dela necessitar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.