Expressão de resistência: direitos humanos e os desenhos de Miguel Lawner

Marcos Diligenti, Bárbara Sanson

Resumo


A Isla Dawson (sul do Chile), foi um dos locais utilizados como campo de concentração, na década de 70, onde foram confinados os opositores à ditadura militar de Augusto Pinochet instaurada em 1973 no Chile. Dentre esses prisioneiros políticos, destaca-se a presença dos trinta assessores diretos do então presidente deposto Salvador Allende. Esta pesquisa buscou, na reconstituição desse momento histórico, os aportes para a reflexão de como os desenhos produzidos pelo arquiteto Miguel Lawner (ex. diretor da Corporação de Melhoramento Urbano / CORMU), um desses prisioneiros, instituiu-se como forma de resiliência/resistência dos atores e obra e como superação das adversidades vividas naquele local de detenção, trabalhos forçados, tortura e extermínio. O principal objetivo visado com esta pesquisa foi retomar e, assim, estudar as diversas formas de denúncia e resistência advindas de situações de extrema desumanização sofridas pelo ser humano. Como aplicação na área arquitetônica em ramo social, ampliar a perspectiva da linguagem do desenho a mão livre em sintonia com a complexidade dos simbolismos que a compõem. Outro dos intuitos deste trabalho é ampliar o entendimento e a visão de quanto as ciências sociais estão inseridas nos diversos setores, contextos e áreas de ensino. A metodologia utilizada foi pesquisa bibliográfica e documental, complementada com entrevistas realizadas com o autor dos desenhos. Posteriormente, a análise qualitativa dos dados seguiu a hermenêutica dialética de Minayo (2000). Ao ganharem o mundo, os desenhos de Lawner constituíram-se como aporte de denúncia dos crimes de lesa humanidade ali ocorridos e, para além disso, caracterizaram a forma de expressão pelo desenho como elemento que transcende a simples representação. Compondo um significado complexo e abrangente, a linguagem do desenho ressignifica os seus espectros de alcance ao apontar para a realização da humanidade do humano.

Palavras chave: direitos humanos, humanidade, ditadura, Chile.

A educação sobre direitos humanos é a chave para lutar contra as causas profundas de injustiça em todo o mundo.  Quanto mais as pessoas sabem sobre seus direitos, e os direitos do outro na sociedade, melhor preparados estão para protegê-los. Quanto mais se olha para o passado e o compreende, menor são as chances destes momentos voltarem.  (SHETTY, 2014, entrevista concedida para Falling Walls).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.