Inflexões da privatização nas residências multiprofissionais em saúde

Fernanda Marques de Sousa, Ana Paula Rocha Sales de Miranda, Herivânia de Melo Ferreira e Oliveira

Resumo


Este artigo analisa as Residências em Saúde (RMS), a partir da conjuntura dos Novos Modelos de Gestão que despontam com o processo de contrarreforma do Estado brasileiro nos anos 1990. As RMS são propostas de formação em serviço, estruturadas por diretrizes e princípios do Sistema Único de Saúde. Tem-se como hipótese que o processo de privatização via Novos Modelos de Gestão interfere na organização das RMS, deturpando sua função social. Esta análise parte de uma revisão de literatura relacionada às RMS e à contrarreforma do Estado, a partir do que se conclui que se considera necessário entender o papel político das Residências no que concerne à especialização de profissionais da área de saúde, bem como ao processo de reorganização do processo de trabalho em saúde.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.