Gestão neoliberal da força de trabalho prisional no espírito santo

Mariana Chrystello Martins Minchio

Resumo


Com a ascensão do Estado penal e o consequente aumento da população prisional, no caso do Estado do Espírito Santo e seus últimos governos orientados pelo modelo neoliberal, a “parceria público-privada” e sua incidência no trabalho prisional, faz surgir, como faceta do neoliberalismo, o paraíso da precarização do trabalho. O trabalho apresentado resulta de dissertação de mestrado que analisou a atividade laboral desenvolvida por mulheres encarceradas, em uma fábrica com linha de produção instalada no Centro Prisional Feminino de Cariacica/ES, rompendo com o silêncio do aprisionamento ao apontar alguns dos reais impactos que a rotina laboral precária da fábrica imprime na vida dessas mulheres, em um contexto violador dos direitos humanos dessas trabalhadoras.

Texto completo:

Gestão neo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.