Resistência camponesa versus Estado frente aos desafios do capitalismo contemporâneo

Mailiz Garibotti Lusa

Resumo


Os modos de vida e de trabalho camponês são tratados como fontes de demandas para as políticas sociais e, ao mesmo tempo, de resistência à exploração, numa abordagem que problematiza o papel do Estado no capitalismo contemporâneo. A análise contextualiza-se no semiárido alagoano, visando apontar o animus capitalista de dominação. São abordados os modos de vida e de trabalho camponeses, a fim de identificar neles as formas de resistência, que ganham significado de lutas sociais críticas à ordem do capital. Nesta conjuntura, tais expressões significam a produção e reprodução de outra sociabilidade oposta àquela capitalista.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.