A EDUCAÇÃO NO CONTEXTO DO POPULISMO E NEOPOPULISMO NO BRASIL

Miguel Vinícius Teixeira da Silva, Andréia Leite Kuyumjian, Cybele Brahim Barbosa

Resumo


Conceituar temas como populismo e neopopulismo tem sido, de certa forma, um grande
desafio para pesquisadores das ciências humanas e sociais. Caracterizar a educação brasileira
no contexto do fenômeno do populismo é antes de tudo a realização de um resgate político e
histórico. O populismo, em especial, é apresentado por diversos autores de diferentes
perspectivas mudando a metodologia de análise, o espaço geográfico e o tempo histórico e,
por consequência a teoria. Alguns trabalham o termo como advento da mobilização das
massas, não necessariamente a classes subalternas; outros como fenômeno político e
ideológico. Na América Latina, ficou marcado na primeira metade do século XX, com o
“Varguismo” no Brasil e o “Peronismo” na Argentina. Entretanto, no final do século passado
e na primeira década do século XXI, edificam-se, também na América Latina, governos
caracterizados como líderes com a presença de carisma, personalismo, nacionalismo,
antioligárquicos e antiunificação global. Tais características fizeram com que alguns teóricos
apresentassem um novo fenômeno - o Neopopulismo. Diante disso, este trabalho tem como
objetivo apresentar e analisar algumas dessas diferentes perspectivas teóricas, através de uma
análise de trabalhos dedicados ao tema e, a partir daí, analisar as políticas educacionais no
contexto do populismo e neopopulismo no Brasil, passando pelo governo democrático de
Vargas, Jango e analisando o reflexo de algumas políticas públicas sociais e educacionais no
primeiro governo Lula.
Palavras-chave: Populismo. Neopopulismo. Educação. América Latina.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.