PENSANDO COM ELIAS A ESCOLARIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOCEGOS

Márcia Alessandra de Souza Fernandes, Monica Isabel Carleti Cunha Corrêa, Tamille Correia de Miranda Milanezi

Resumo


O presente trabalho propõe reflexões teóricas sobre a inclusão escolar de pessoas surdocegas.
Fundamenta-se nas contribuições da teoria Figuracional, elaborada por Norbert Elias,
sobretudo, a noção de linguagem. Para este autor, a linguagem se estabelece e ganha sentido
no fluxo das inter-relações humanas. Nesse processo, evidencia que expressões linguísticas se
constituem nos grupos sociais sob o fluxo de tensões e de necessidades pessoais e sociais,
referindo-se a um processo de internalização de desejos e de significados que marcam a vida
em sociedade, portanto delineia aspectos importantes na estrutura social. Nesse contexto,
encontram-se as pessoas surdocegas que necessitam de expressões linguísticas não
padronizadas para se comunicarem. Outro aspecto abordado, neste trabalho, refere-se à
cristalização de ideias e crenças sobre a função da escola, na modernidade, na qual
preponderava os interesses capitalistas de produção e, nos termos elisianos, que o papel da
escola esteve atrelado, igualmente, naquele período, ao controle das emoções e dos
comportamentos. Utilizaram-se dados de pesquisas concluídas e em andamento que
evidenciam, em sua maioria, a ausência de matrículas de pessoas surdocegas no ensino
comum no estado do Espírito Santo. O resultado deste trabalho suscitou alguns apontamentos
para a necessidade de estudos e pesquisas sobre a identificação de surdocegos no contexto
escolar,das questões que envolvem a presença e/ou ausência de uma linguagem
padronizada/convencional, bem como na identificação das crenças dos familiares e
professores na educabilidade de estudantes surdocegos, considerando as funções sociais da
escola instituídas historicamente.
Palavras-chave: Linguagem. Surdocegueira. Inclusão escolar.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.