Interpretando o desenvolvimento em Ubú e Parati: reflexões sobre a formulação, o sentido e a operação do planejamento (das elites polìticas e econômicas) para o futuro.

Gustavo Rovetta Pereira

Resumo


O texto foi desenvolvido a partir da pesquisa de inspiração etnográfica que originou a dissertação de mestrado em ciências sociais, defendida na Universidade Federal do  Espírito  Santo,  denominada  “Produção  da  cultura  e  mediação  social  do ambiente nas pescas artesanais das comunidades vizinhas de Ubú e Parati no litoral  do  Espírito  Santo”(PEREIRA,  2014),  que  focou-se  em  investigar  o processo de construção da pesca artesanal  nas comunidades vizinhas de Ubú e Parati no município de Anchieta no estado do Espírito Santo, em relação a um contexto socioambiental característico a gama de relações que os grupos sociais de pescadores artesanais  estão sujeitos no passar do cotidiano da atividade da pesca. Das circunstâncias socioambientais que envolvem a construção da cultura da pesca  artesanal em Ubú e Parati, será construída neste texto, uma interpretação no âmbito da teoria social sobre os processos sociais de implantação de grandes estruturas industriais, que são chamados pelos seus incentivadores e mobilizadores como “progresso” e “desenvolvimento” e também será demonstrado um estudo de caso sobre como alguns desses processos que podem ser classificados sob tal conceituação, dirigiram-se ao município de Anchieta e consequentemente aos espaços da pesca artesanal de Ubú e Parati.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.