Os limites da democracia participativa a partir da perspectiva das teorias decoloniais

jaqueline Marcelino de Souza

Resumo


Observando a ressignificação que os movimentos sociais têm dado às manifestações públicas, infere-se que a temática da participação no campo da ciência política ainda fomenta discussões e enseja debates. As formas de participação política quer sejam nas teorias “contratualistas” ou na proposta decolonial intrigam e geram questionamentos acerca do modo como os sujeitos poderiam influenciar as tomadas de decisão. Por isso objetiva-se a partir da recuperação das principais teorias sobre a participação política dentro dos modelos da democracia, verificar seus pontos de crítica com ênfase nas
abordagens decoloniais. Para tanto emprega-se pesquisa qualitativa, de cunho
bibliográfica para a revisão da literatura pertinente ao tema, por meio da técnica de análise de texto, a fim de se responder à problemática que se desenvolvemos na verificação dos limites da democracia participativa da perspectiva das teorias decoloniais. Entre as conclusões apontamos para a crítica à própria ideia do Estado como forma única de organização possível e aos modelos de participação ocidental com o únicos meios legítimos de influência dos sujeitos na estrutura do poder.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.