Regional da Nair e a constituição de espacialidades no Bar da Zilda

Tuani Guimarães de Ávila Augusto

Resumo


Esta discusão surge de uma sugestão em um dia qualquer ao som de um samba no Bar da Zilda: ‘Amanhã tem ‘os universitários’, você vai gostar’. Isso foi o que me sugeriu uma das pessoas que atende os frequentadores. Eu já sabia do que se tratava. Era do Regional da Nair que falava. Já frequentava o Bar da Zilda esporadicamente, e ainda mais depois que o Regional passou a se apresentar por lá. Era de se intrigar com a sugestão, por me identificarem como ‘universitária’, e pela diferenciação que existe entre o público do Bar da Zilda e o público do grupo Regional da Nair. Além deste caso, em uma de suas festas na qual também ocorreu a apresentação do grupo Lobos do Samba, que se apresenta todas as semanas no bar, notei 2 momentos na festa. Ambos os grupos se apresentaram no interior do Bar, enquanto o Lobos do Samba tocava um público acompanhava a apresentação do lado de dentro e outro público estava do lado de fora, quando o Regional começou a tocar o público se inverteu, os que estavam dentro foram para a rua e os que estavam na rua entraram (não em sua completude, mas no geral). Demonstrando de alguma maneira que se referem a processos de apropriação distintos. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.