O "DESENHO DE SI MESMO" NA BRINQUEDOTECA HOSPITALAR: O BRINQUEDO E O BRINCAR NA EDUCAÇÃO ESPECIAL SEGUNDO A CORPOREIDADE, EXPERIÊNCIA E PERCEPÇÃO MERLEAU-PONTYANOS

Ana Karyne Loureiro Furley, Hiran Pinel, Vitor Gomes

Resumo


Apresentamos aqui um recorte da dissertação de mestrado (em
andamento) em educação inserido na linha de pesquisa ”Educação Especial e
processos inclusivos”. A brinquedoteca hospitalar com sua ludicidade tem a
finalidade de desenvolver o processo de cognição indissociado do afeto e
psicomotricidade, possibilitando a criança com necessidades educacionais
especiais, que vivenciando em um processo de internação ou tratamento clínico,
experimentar novas percepções de si, do outro e do mundo através do brincar,
proporcionando assim conquistas, como a resiliência. A resiliência é um termo
que pode estar ligado à cura ao cuidado, à autoconfiança e à satisfação
emocional, que emergirá possivelmente por meio de elaboração de novas
estruturas em experiência vivida como ser no mundo. No qual indaga-se: o que
é ser Flamboyant, um garoto com necessidades educacionais especiais, estando
ele numa brinquedoteca hospitalar, a se mostrar subjetivamente pelo desenho?
O objetivo é descrever compreensivelmente o que é ser Flamboyant, um garoto
com necessidades educacionais especiais, estando ele numa brinquedoteca
hospitalar, a se mostrar subjetivamente pelo desenho. Para responder a essa

questão e interrogação pretendemos recorrer a três conceitos merleau-
pontyanos, quais sejam: corporeidade, experiência e percepção. Diante do

exposto, este presente estudo, mostrará caminhos possíveis aos pedagogos,
professores, psicólogos, educadores sociais e outros profissionais responsáveis
pelas brinquedotecas hospitalares e outras, revelando a importância do
brinquedo e da brincadeira na constituição subjetiva do qual a criança é lançada
na sua própria existência de ser. A partir das leituras em Merleau-Ponty
selecionou-se os três conceitos buscamos através de uma fenomenologia do
brincar desvelar essa criança.

Palavras-Chave: Educação Especial, Brinquedoteca Hospitalar,
Fenomenologia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.