EDUCAÇÃO ESPECIAL E PROTAGONISMO: UMA LEITURA FENOMENOLÓGICA SOBRE O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO – AEE

Herberth G. Ferreira, Hiran Pinel, Menderson Resende

Resumo


Resumo: Este artigo apresenta uma leitura fenomenológica sobre a Resolução nº 2 de 11 de setembro de 2001 e sobre a Resolução nº 4 de 2 de outubro de 2009, ambas instituídas pelo Conselho Nacional de Educação, ligado ao Ministério da Educação que orientam as práticas escolares do Atendimento Educacional Especializado - AEE. Na nossa compreensão, por mais progressivas e atuais que sejam estas resoluções, ao que parece, estas não deixam claras as possibilidades de geração de autonomia para que o sujeito da educação especial inclusiva possa manifestar-se sobre essas mesmas políticas pelo qual é atendido, colocando-o como mero objeto desse processo, afastando-o do seu potencial de protagonismo.

Palavras-chave: Educação Especial. Sujeito-aluno. Fenomenologia. Empoderamento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.