Capital social como fator limitante ao progresso social e econômico da região cacaueira baiana

Francisco Mendes da Costa, Raimundo Jorge Zumaeta Costa, Valter Alves Nascimento

Resumo


O presente estudo busca analisar a economia cacaueira no Mesorregião do Sul Baiano - MSB e as interfaces com a trajetória econômico e social de um território que descobriu no cacau a esperança de enriquecimento e melhorias sociais. A sua trajetória foi  circundada  por  crises,  as  quais  receberam  adjutórios  públicos,  que  a  amenizavam, porém sem uma solução definitiva, chegando ao ápice de uma doença vir a proporcionar um desajuste de produção reduzindo-a em 70% da produção média dos últimos 30 anos, provocando   em   conseqüência   o   empobrecimento   do   patrimônio   regional,   cujas externalidades  provocaram  o  desemprego  e  graves  problemas  sociais,  cuja  fase  dura mais de 20 anos. Além de fatores estruturais e conjunturais, uma das causas ainda não discutida,  mas  importante  na  formação  da  crise  está  relacionada  ao  comportamento individualista  do  cacauicultor,  o  que  quer  dizer  que  as  relações  sociais  não  eram atividades  costumeiras  no  dia  a  dia  da  prática  regional.  A  escassez  do  capital  social como   fator   limitante   influenciou   decididamente   para   a   perda   do   desempenho tecnológico e a fraca representação política do cacauicultor. A cacauicultura tornou-se frágil  perdendo  a  institucionalidade  da  produção  e  da  representação,  assim  como  a queda das interações sociais, que já eram precárias na Região.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.