RACISMO INSTITUCIONAL E SAÚDE DA MULHER NEGRA: REFLEXÕES ACERCA DOS DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS, OS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA E O SERVIÇO SOCIAL

  • TATIANE FARIAS DA ROSA SILVA
  • JÉSSICA MARIA RIBEIRO FIGUEIRA
  • SANDRA REGINA VAZ DA SILVA

Resumo

Resumo: O presente artigo tem por objetivo estabelecer reflexões sobre o racismo institucional nos serviços de saúde, de modo a evidenciar as formas de violência e violação dos direitos reprodutivos e saúde da mulher negra usuária do Sistema Único de Saúde. Através da compreensão do racismo no Brasil e da condição da mulher negra na sociedade de classes, procuramos problematizar a permanência do racismo institucional diante da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra, criada como estratégia de combate ao racismo e garantia de promoção da igualdade racial, em conjunto com outros documentos orientativos, que compreendem os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres como direito humano.

Palavras-chave: Racismo Institucional; Mulher Negra; Serviço Social.

Publicado
2019-05-21
Seção
Comunicações orais - Serviço Social, Relações de Exploração/Opressão de Gênero, Raça/Etnia, Sexualidades