AS CULTURAS JUVENIS E A POLÍTICA DE SAÚDE: O CORPO, A ARTE E OS RISCOS SOB A PERSPECTIVA DE JOVENS NÃO HETEROSSEXUAIS

  • ISABELLE MELO ROCHA LIMA
  • ALBERLANE PEREIRA DE MATOS BARROS
  • NAYARA MACHADO MELO PONTE
  • FRANCISCO NATANAEL LOPES RIBEIRO
  • MARIA ADELANE MONTEIRO DA SILVA

Resumo

Resumo: Os estudos para o delineamento deste trabalho revelam a fragilidade política, institucional e conceitual no atendimento dado às juventudes pela política de saúde. O objetivo geral deste estudo foi compreender como os jovens significam sua saúde no cotidiano de suas culturas. Trata-se de um estudo qualitativo, etnográfico realizado através de diários de campo e entrevistas semiestruturadas. Os jovens entrevistados significam a saúde no compartilhamento de uma cultura que estabelece elos de sentido diante da negação de suas identidades sexuais. É nesse compartilhar que encontram o reconhecimento de si, produzindo um algo mais, que aqui, denomino de saúde.

Palavras-chave: Culturas Juvenis; Saúde; Arte; Corpo

Publicado
2019-05-21
Seção
Comunicações orais - Política Social e Serviço Social