CONTRARREFORMA E INTELECTUAIS COLETIVOS: RESISTÊNCIA OU CONSENSO AO PROCESSO DE REFORMA SANITÁRIA BRASILEIRA EM CAMPINA GRANDE – PARAÍBACONTRARREFORMA E INTELECTUAIS COLETIVOS: RESISTÊNCIA OU CONSENSO AO PROCESSO DE REFORMA SANITÁRIA BRASILEIRA EM CAMPINA GRANDE – PARAÍBA

Autores

  • ALESSANDRA XIMENES DA ALESSANDRA XIMENES
  • THAISA SIMPLÍCIO CARNEIRO MATIAS

Resumo

Resumo: O presente artigo é resultado da pesquisa Contrarreforma, Intelectuais e Serviço Social: as inflexões da política de saúde em Campina Grande/PB. Está fundamentado numa leitura teórico-crítica da realidade, analisando no processo de contrarreforma na política de saúde, as tendências dos intelectuais coletivos e do Serviço Social, na perspectiva do consenso e da resistência. A partir de um referencial teórico crítico, se utilizou a análise documental, bibliográfica, observação nas reuniões dos Fóruns de Saúde e realização de entrevistas semiestruturadas. A pesquisa identificou que os intelectuais coletivos resistem à racionalidade instrumental da contrarreforma e não consensuam com o projeto privatista.

Palavras- chave: Contrarreforma; Intelectuais Coletivos; Serviço Social.

Publicado

2019-05-21

Edição

Seção

Comunicações orais - Trabalho, Questão Social e Serviço Social.