CURRÍCULO COMO POLÍTICA PÚBLICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO BRASIL

  • Elaine Cistina Apolinário de Azevedo
  • Ivete Gava da Silva

Resumo

Ao criar o clube de ciências, trabalhamos o desejo pela pesquisa e a construção de novos conhecimentos (Lima, 1998), utilizando os princípios da alfabetização cientifica, como ferramenta de transformação, problematizando suas relações sociais, culturais, econômicas, familiares e o seu entorno com o mundo, permeada pelo desejo que incita a curiosidade, que traz a dinâmica de aprender com significado. Podendo o professor aprender com os alunos, revendo a prática a partir da teoria da academia, somado ao conhecimento pela convivência com a diversidade de indivíduos. Através da pesquisa bibliográfica entendemos que, na intenção de proteger os territórios e alcançar novas áreas para dispersar suas ideologias, EUA e URSS, desencadearam a corrida armamentista, incrementando seus arsenais, através do investimento em tecnologia para desenvolver equipamentos militares e nucleares, além do aumento das tropas. Buscavam armas mortais e de destruição em massa, surgia à necessidade de investimento na educação para o ensino de física, química e tecnologia resultando na propagação da tecnologia aeroespacial e o aumento da rivalidade.

Edição
Seção
Eixo 1 - Políticas, Curriculos e Práticas