ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO E FORMAÇÃO DOCENTE: VIVÊNCIAS EM UM CURSO DE PEDAGOGIA

  • Maria Nilceia de Andrade Vieira
  • Elda Alvarenga

Resumo

A relevância das experiências com o estágio constitui tema de inúmeras pesquisas (CÕCO; VIEIRA; GIESEN, 2018) e está pautada na legislação educacional vigente. No contexto das atuais Diretrizes Curriculares para a Formação inicial e continuada (BRASIL, 2015), defendemos uma concepção de educação como processo emancipatório e permanente. Nessa concepção, reconhecemos a articulação entre teoria e prática, simultaneamente, como expressão do trabalho docente e também como desafio nos processos de formação inicial e continuada. Focalizando especialmente o campo da formação inicial, assinalamos que as atuais diretrizes (BRASIL, 2015) salientam a necessidade de que as instituições formadoras elaborarem seu projeto institucional, buscando articulação com os sistemas e redes de ensino e com as instituições de educação básica. Essa diretriz precisa ser considerada ao se planejar e desenvolver ações relacionadas ao estágio curricular, sobretudo pela diversidade de experiências assinaladas como exigências da formação inicial docente.

Edição
Seção
Eixo 4 - Políticas de formação, valorização e condições de trabalho dos profissionais da educação