Crise, sujeito histórico e consciência de classe: uma abordagem meszariana

Rafael Bellan Rodrigues de Souza

Resumo


A crise estrutural do sistema do capital (MÉSZÁROS. 2002) como se assevera no atual contexto histórico apresenta como seus mais graves sintomas o desemprego estrutural, a precarização do trabalho e a catastrófica destruição ambiental. Os movimentos sociais, mesmo operacionalizando suas demandas em torno de causas específicas, são capazes de se constituírem em classe quando adquirem, na luta, a percepção do alcance de sua força, em uma ação direcionada ao fortalecimento dos trabalhadores livremente associados. Assim, a consciência de classe necessária (MÉSZÁROS, 2008), fundamental aos processos transformadores, depende, não só da rica tarefa de criação de uma ideologia emancipatória, mas em uma série de mediações subjetivas/objetivas que avançam a consciência na medida em manipulam a própria totalidade no rumo de elaboração permanente de novas formas de sociabilidade.

Palavras-chave


Consciência de classe; Crise do capital; Sujeito Histórico; Mészáros

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18315/argumentum.v11i1.19912

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons