O protagonismo político das famílias de um CAPS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18315/argumentum.v11i1.21680

Resumo

Objetivou-se, nesse texto, refletir sobre o protagonismo político familiar em um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) através da Associação de Pacientes, Familiares e Funcionários. Como resultado dessa pesquisa constatou-se que algumas famílias tentam lutar pelos seus direitos através da Associação; todavia, a falta de articulação, a pouca clareza em relação à Política de Saúde Mental e aos princípios da Reforma Psiquiátrica e a escassez de apoio político, limitam substancialmente as possibilidades de avanço dessa associação.

Biografia do Autor

Ana Carolina Becker Nisiide, Unioeste

Doutoranda em Psicologia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Mestre em Serviço Social pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Formada em Serviço Social pela Unioeste. Formada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Especialista em Arteterapia, desenvolvimento humano e criatividade no espaço social, da saúde e educação ministrado pelo Centro de Estudos em Arteterapia, Psicologia e Educação (Centrarte), especialista em Planejamento, gestão e avaliação de Políticas Públicas pela UNIOESTE. Professora colaboradora do curso de Serviço Social da Unioeste.

Maria Isabel Formoso Cardoso e Silva Batista, Unioeste

Professora Associada da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE/Campus de Toledo-PR, vinculada ao Centro de Ciências Sociais Aplicadas e ao Programa de Pós-Graduação em Serviço Social. Possui Graduação em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Assis (1994); Mestrado em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Araraquara (2000); Doutorado em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP (2008). Atualmente, realiza Pós-Doutorado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR. Tem atuado nos seguintes temas e áreas: psicologia social; psicologia educacional e escolar; psicologia jurídica; formação do indivíduo; grupos sociais; infância, juventude/adolescência e família; violência e criminalidade; teoria crítica; ideologia e indústria cultural; educação; e saúde mental.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-04-30

Como Citar

Nisiide, A. C. B., & Batista, M. I. F. C. e S. (2019). O protagonismo político das famílias de um CAPS. Argumentum, 11(1), 160-172. https://doi.org/10.18315/argumentum.v11i1.21680