Feminismo, Estado e políticas públicas: desafios para uma perspectiva de emancipação

Palavras-chave: Feminismo, Estado, Políticas Públicas

Resumo

A garantia de políticas públicas têm sido um desafio à consolidação de direitos advindos, principalmente, da luta dos movimentos sociais organizados, dentre eles, o feminista. Em tempos de financeirização, a defesa dessas políticas torna-se imprescindível e exige reflexão crítica em torno do Estado e da luta por políticas públicas, no interior do campo do feminismo, no Brasil, compreendido como sujeito de emancipação. Nesta perspectiva, através de revisão bibliográfica e pesquisa documental nosso propósito é reafirmar que o feminismo em sua perspectiva de emancipação expressa o aprofundamento paradoxal entre o processo de minimização das políticas sociais e o aumento das demandas sociais por serviços públicos, impulsionado pelas políticas de viés neoliberal, requerendo o desenvolvimento de críticas ao Estado capitalista, atualmente, em sua versão neoliberal.

 

Biografia do Autor

Márcia da Silva Pereira Castro, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)
Professora Adjunta do Departamento de Serviço Social da UERN. Doutora em Ciências Sociais. Atua, principalmente, na área de Fundamentos Histórico-teórico-metodológicos do Serviço Social, desenvolvendo pesquisas na área de avaliação de política pública, política de assistência social e formação profissional.
Telma Gurgel, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)
Professora Adjunta do Departamento de Serviço Social da UERN. Doutora em Sociologia. Atua, principa fundamentos Histórico-teórico-metodológicos do Serviço Social, desenvolvendo pesquisas na área de avaliação de política pública, política de assistência social e formação profissional.
Publicado
2019-04-30
Como Citar
Castro, M. da S. P., & Gurgel, T. (2019). Feminismo, Estado e políticas públicas: desafios para uma perspectiva de emancipação. Argumentum, 11(1), 146-159. https://doi.org/10.18315/argumentum.v11i1.21704