Gênese e ocaso do Estado “neodesenvolvimentista”: ofensivas à Seguridade Social brasileira

Larissa Martins de Almeida, Sheyla Suely de Souza Silva, Sayonara Santos Andrade

Resumo


Este artigo analisa o percurso da ofensiva neoliberal no Brasil, com ênfase na gênese e colapso do Estado “neodesenvolvimentista”, problematizando os desdobramentos desta trajetória para a Seguridade Social, primeiro, devido à hipertrofiação da Política de Assistência Social (PAS) e à incorporação de conceitos e estratégias do ideário social-liberal ao seu marco legal; depois, pelo retorno acelerado ao neoliberalismo ortodoxo e sua severa pauta de ajustes fiscais. Nossos estudos revelam que o “neodesenvolvimentismo” foi prematuramente colapsado, com a intenção de dar celeridade às contrarreformas neoliberais; direcionar a quase integralidade do fundo público para o capital financeiro; remercantilizar as políticas sociais e, por fim, espoliar os bens e patrimônios públicos brasileiros, em benefício da restauração do capital.


Palavras-chave


Neoliberalismo Ortodoxo. Social-liberalismo. Neodesenvolvimentismo. Política de Assistência Social. Seguridade Social

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18315/argumentum.v11i1.22642

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons