PRODUÇÕES ACADÊMICAS BRASILEIRAS EM ERGONOMIA E SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

BRAZILIAN ACADEMIC PRODUCTIONS IN ERGONOMICS AND BIBLIOGRAPHICAL STUDY

Resumo

Este trabalho objetivou realizar uma busca sistemática e analisar o conteúdo de estudos no Brasil dentro da temática ergonomia e/em serviços de alimentação, com a proposta de identificar oportunidades de novos trabalhos na área. Promoveu-se estudo bibliográfico por busca sistemática nas bases de dados CAPES, SciELO, LILACS-BVS e EBSCO, sobre produções brasileiras avaliadas por banca examinadora e/ou revisadas por pares, utilizando descritores relacionados aos temas “ergonomia” e “serviços de alimentação”, sem restrição de idioma e sem recorte temporal. Os resumos dos trabalhos foram submetidos à ferramenta de análise léxica World Smith 2012. As produções elegíveis perfizeram um total de 37 trabalhos, produzidos entre 1993 e 2017: 5 teses, 12 dissertações e vinte artigos. Os programas de pós graduação mais comumente envolvidos pertenciam à área de engenharia e as revistas mais implicadas foram da área da Saúde. A abordagem qualitativa de pesquisa foi observada em maior número. A análise de conteúdo permitiu agrupamento das produções em quatro categorias: Condições e organização do trabalho; Satisfação, qualidade de vida e saúde no trabalho; Transferência de tecnologia; Produtividade e eficiência. Os estudos apontam para um contexto portando condições sociais, econômicas e demográficas externas desfavoráveis, aspectos estruturais internos inadequados e pouca valorização da atividade, sendo que relatos de elevado custo humano são comuns. Estima-se que estudos que abordem a diversidade dos serviços de alimentação na contemporaneidade, assim como aqueles que abordem a centralidade do trabalhador neste ambiente tornam-se necessários para a compreensão da dinâmica do trabalho em unidades produtoras de refeições.

Biografia do Autor

Adriana Hocayen de Paula, Universidade Federal de Viçosa
Discente no Departamento de Economia Doméstica. Programa de Pós-Graduação em Economia Doméstica. Área de concentração: Família e Sociedade. Linha de pesquisa: Trabalho, Consumo e Cultura.
Amelia Carla Sobrinho Bifano, Universidade Federal de Viçosa, MG
Departamento de Economia Doméstica, Programa de Pós-Graduação em Economia Doméstica

Referências

Abrahão, J. I., & Pinho, D. L. M. (2002). As transformações do trabalho e desafios teórico-metodológicos da Ergonomia. Estudos de Psicologia, 7(nº esp.), 45-52. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/epsic/v7nspe/a06v7esp.pdf

Alves, E. A. B., Camarotto, J. A., & Silva, S. L. (2018). O olhar da ergonomia para o processo produtivo da agricultura orgânica: revisão sistemática da literatura brasileira. Cadernos de Agroecologia, 13(2), 1-10. Recuperado de http://cadernos.aba-agroecologia.org.br/index.php/cadernos/article/view/2426.

Antloga, C. S. (2009). Práticas gerenciais e qualidade de vida no trabalho: o caso das micro e pequenas empresas no setor de alimentação em Brasília (Tese de doutorado). Universidade de Brasília, Brasília, DF. Curso de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, Instituto de Psicologia; 2009. Recuperado de http://repositorio.unb.br/handle/10482/7109.

Barbosa, S. R. (2002) Cenas e queixas: a importância das condições ergonômicas em unidades de alimentação e nutrição hospitalares (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/83833.

Berto, R. M. V. S., & Nakano, D. N. (2000). A produção Científica nos Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção: Levantamento de Métodos e Tipos de Pesquisa. Produção, ABEPRO 9(2), 65-76. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/prod/v9n2/v9n2a05.pdf

Braga, J., Cardoso, V., Abreu, A., Didoné, L., Evangelista, M., & Serra F. (2012) Ergonomic assessment of porridge roaming sale system. Work. 41(Suppl), 5532-5535. Recuperado de https://content.iospress.com/articles/work/wor0873

Calado, A. V. S., & Soares, M. M. (2012) Usability analysis of industrial cooking equipment. Work, 41(Suppl.), 1058-1065. Recuperado de https://content.iospress.com/articles/work/wor0283?resultNumber=0&totalResults=7546&start=0&q=usability+analysis+of+industrial+cooking&resultsPageSize=10&rows=10

Carpes, D. P., Alonço, A. S., Possebom, G., Moreira, A. R., Becker, R. S., Zart Bruno, C. C. R., & Lopes, T. G. (2019) Análise ergonômica e ambiental de uma empresa metalúrgica do ramo de agroindústrias e derivados de cana de açúcar. Tecno-Lógica, 23(1), 28-35. Recuperado de https://online.unisc.br/seer/index.php/tecnologica/article/view/12382/7899

Carvalho, J. B. (2016). A experiência em Hotelaria: Análise Ergonômica do Trabalho na recepção e os impactos sobre a performance organizacional. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. Recuperado de http://www.producao.ufrj.br/index.php/br/teses-e-dissertacoes/teses-e-dissertacoes/mestrado/2016-1/222--191/file.

Casarotto, R. A., & Mendas, L. F. (2003) Queixas, doenças ocupacionais e acidentes de trabalho em trabalhadores de cozinhas industriais. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 28(107/108), 119-126. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0303-76572003000200011&script=sci_abstract&tlng=pt

Resolução do Conselho Federal de Nutricionistas nº 600 de 25 de fevereiro de 2018. (2018). Dispõe sobre a definição das áreas de atuação do nutricionista e suas atribuições, indica parâmetros numéricos mínimos de referência, por área de atuação, para a efetividade dos serviços prestados à sociedade e dá outras providências. Conselho Federal de Nutricionistas. Pub. DOU 76, 1, 157, ret. DOU 98, 1, 68. Recuperado de: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/resolucoes/Res_600_2018.htm.

Coimbra, F. B. (2012). O trabalho nas cozinhas de unidades escolares: os impactos sobre a saúde das merendeiras em escola municipal de São Carlos. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP. Recuperado de https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/3736/5514.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Colares, L. G. T. & Freitas, C. M. (2007). Processo de trabalho e saúde de trabalhadores de uma unidade de alimentação e nutrição: entre a prescrição e o real do trabalho. Cad. Saúde Pública, 23(12), 3011-3020. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0102-311x2007001200022&script=sci_abstract&tlng=pt

Colares, L. G. T. (2005). Processo de trabalho, saúde e qualidade de vida no trabalho em uma unidade de alimentação e nutrição: uma abordagem qualitativa (Tese de doutorado). Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ. Recuperado de https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/4430/2/257.pdf

Costa, M. G. S. (2003). Arquitetura e saúde do trabalhador: da gênese ao uso, a construção dos espaços hospitalares. Um olhar para além das normas (Dissertação de mestrado). Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Rio de Janeiro, RJ. Recuperado de https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/5241/2/730.pdf

Dalfovo, M. S., Lana, R. A., & Silveira, A. (2008). Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, 2(4), 01-13. Recuperado de https://www3.ufpe.br/moinhojuridico/images/ppgd/9.1b%20metodos_quantitativos_e_qualitativos_um_resgate_teorico.pdf

Esperança, L. C., & Marchiori, D. M. L. (2011). Qualidade na produção de refeições comerciais na região de Cerqueira César, São Paulo. Nutrire, 36(1), 71-83. Recuperado de http://sban.cloudpainel.com.br/files/revistas_publicacoes/314.pdf.

Fernandes, R. C. S., Lima, M. A., Morais, N. A. R., Nicolini, A. C., & Spinelli, M. G. N. (2017). Avaliação de aspectos ergonômicos de food trucks localizados no município de São Paulo. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 15(1), 872-885. Recuperado de http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/view/4194.

Ferreira, M. C. (2008). A ergonomia da atividade se interessa pela qualidade de vida no trabalho? Reflexões empíricas e teóricas. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 11(1), 83-99. Recuperado de: http://ergopublic.com.br/arquivos/1252860601.97-arquivo.pdf

Ferreira, NSA. (2002) As pesquisas denominadas “Estado da Arte”. Educação & Sociedade, 23(79), 257-272. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n79/10857.pdf.

Fontoura, W. B., Herzog, A. S., Menezes, G. S. & Matias, Y. R. M. (2018). Análise Ergonômica do Trabalho (AET) em uma lanchonete localizada em São Mateus-ES. Brazilian Journal of Production Engineering, 4(2), 32-47. Recuperado de: http://periodicos.ufes.br/BJPE/article/view/v4n2_3.

Gentzler, M. D. & Smither, JA. (2012) Using practical ergonomic evaluations in the restaurant industry to enhance safety and comfort: a case study. Work, 41(supp1), 5529-5531. Recuperado de: https://content.iospress.com/articles/work/wor0872?resultNumber=2&totalResults=5&start=0&q=gentzler%2C+smithers&resultsPageSize=10&rows=10.

Glina, D. M. R., Siqueira, A. R., Isosaki, M. & Rocha, L. E. (2008). Análise ergonômica da higienização de louças de um hospital. O Mundo da Saúde, 32(2), 198-207. Recuperado de: :https://www.researchgate.net/publication/242198023_Analise_ergonomica_da_higienizacao_de_loucas_de_um_hospital_cardiologico_publico_Ergonomic_analysis_of_dish_hygienization_of_a_public_cardiologic_hospital_Analisis_ergonomica_de_la_limpieza_de_platos_.

Glina, D. M. R., Siqueira, A. R., Isosaki, M. & Rocha, L. E. (2011). Participatory ergonomics: Understanding the contributions of reflection groups in a hospital food service. International Journal of Industrial Ergonomics, 41(1), 96-105. Recuperado de: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0169814110001101?via%3Dihub.

Godoy, A. S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades: Uma revisão histórica dos principais autores e obras que refletem esta metodologia de pesquisa em Ciências Sociais. Rev. Administração de Empresas, 35(2), 57-63. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/rae/v35n2/a08v35n2.pdf.

Hayashi, E. (2007) Condições ambientais em escolas municipais de ensino infantil da cidade de Marília (São Paulo): estudo de caso. (Dissertação de mestrado). Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho, Bauru, SP. Recuperado de: http://hdl.handle.net/11449/91417

Isosaki, M., Cardoso, E., Glina, D. M. R., Pustiglione, M. & Rocha, L. E. (2011) Intervenção nas situações de trabalho em um serviço de nutrição hospitalar e repercussões nos sintomas osteomusculares. Rev. Nutr., 24(3), 449-462. Recuperado de: https://bdpi.usp.br/bitstream/handle/BDPI/9363/art_ISOSAKI_Intervencao_nas_situacoes_de_trabalho_em_um_2011.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Lemos, M. P. (1999). Contribuições da ergonomia na melhoria da qualidade higiênico-sanitária de refeições coletivas: um estudo de caso. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://core.ac.uk/download/pdf/30362262.pdf

Leplat, J. & Montmollin, M. (2007) As relações de vizinhança da ergonomia com outras disciplinas. In P. Falzon, (Editor). Ergonomia (pp. 33-44). Trads: Ingratta, G. M. J., Maffei, M., Sznelwar, M. W. R., Oliveira, M. A. & Puntch, A. A. São Paulo: Blücher.

Lima, A. P., Nascimento, B. M., Honorato, I. R., Araújo, L. M. P., Castro, T. D. S., Fernandes, R. C. S. & Spinelli, M. G. N. (2017). Avaliação dos aspectos ergonômicos de um restaurante localizado na zona urbana de São Paulo. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 15(2), 296-305. Recuperado de: http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/view/364

Luz, C. M., Proença, R. P. C., Salazar, B. R. & Galego, G. N. (2013). Working conditions at hospital food service and the development of venous disease of lower limbs. International Journal of Environmental Health Research, 23(6), 520–30. Recuperado de: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09603123.2013.769203. http://dx.doi.org/10.1080/09603123.2013.769203.

Luz, C. M. (2006). O trabalho na produção de refeições e as doenças venosas de membros inferiores (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/88245.

Luz-Bertoldi, C. M., Proença, R. P. C., Galego, G. N., Costa, S. P. (2007). Condiciones de trabajo em la producción de comidas como factores de riesgo para la enfermedad venosa de miembros inferiores. Medicina y Seguridad del Trabajo, 53(206), 25-32. Recuperado de: http://scielo.isciii.es/pdf/mesetra/v53n206/original5.pdf.

Maciel, T. R. S. (2002). Fatores interferentes na satisfação dos trabalhadores de uma Unidade de Alimentação e Nutrição hospitalar. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/82323.

Marcon, M. C. (1997). As novas propostas de organização do trabalho e a participação do trabalhador: um estudo de caso desenvolvido junto a uma unidade de alimentação e nutrição tipo concessionária, sob um enfoque ergonômico (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/77149

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2003) Fundamentos de Metodologia Científica (5ª ed.) São Paulo: Atlas.

Matos, C. H. & Proença, R. P. C. (2003). Condições de trabalho e estado nutricional de operadores do setor de alimentação coletiva: um estudo de caso. Rev. Nutr., 16(4), 493-502. Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-52732003000400012&script=sci_abstract&tlng=pt.

Monteiro, M. A. M. (2009) Importância da ergonomia na saúde dos funcionários de unidades de alimentação e nutrição. Rev. Baiana de Saúde Pública, 33(3), 416-427. Recuperado de: http://files.bvs.br/upload/S/0100-0233/2009/v33n3/a009.pdf.

Novelleto, D. L. L. & Proença, R. P. C. (2004). O planejamento do cardápio pode interferir nas condições de trabalho em uma unidade de alimentação e nutrição? Nutrição em Pauta, 65, 36-40. Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=000130&pid=S0102-311X200700120002200006&lng=pt.

OMS - Organização Mundial da Saúde (1946). Constituição da Organização Mundial da Saúde - 1946. Recuperado de: http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/OMS-Organiza%C3%A7%C3%A3o-Mundial-da-Sa%C3%BAde/constituicao-da-organizacao-mundial-da-saude-omswho.html.

Pehkonen, I., Takala, E.-P., Ketola, R., Viikari-Juntura, E., Leino-Arjas, P., Hopsu, L., et al. (2009) Evaluation of a participatory ergonomic intervention process in kitchen work. Applied Ergonomics, 40(1), 115–123. Recuperado de: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0003687008000070.

Proença, R. P. C. (1993). Ergonomia e organização do trabalho em projetos industriais: uma proposta no setor de alimentação coletiva. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/75889.

Proença, R. P. C. (1996). Aspectos organizacionais e inovação tecnológica em processos de transferência de tecnologia: uma abordagem antropotecnológica no setor de alimentação coletiva (Tese de doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/76479.

Proença, R. P. C. (1999). Novas tecnologias para a produção de refeições coletivas: Recomendações de introdução para a realidade brasileira. Rev. Nutr., 12(1), 43-53. Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1415-5273

Romanowski, J. P. & Ens, R. T. (2006). As pesquisas denominadas do tipo “Estado da Arte” em educação. Diálogo Educ., 6(19), 37-50. Recuperado de: http://www.redalyc.org/pdf/1891/189116275004.pdf.

Santana, A. M. C. (1996). A abordagem ergonômica como proposta para melhoria do trabalho e produtividade em serviços de alimentação (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/76972.

Santana, A. M. C. (2002). A produtividade em unidades de alimentação e nutrição: aplicabilidade de um sistema de medida e melhoria da produtividade integrando a ergonomia. (Tese de doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/83346.

Sever, M. M. (2019) Improving ergonomics conditions at hospitality industry. International Journal of Research in Business and Social Science, 8(2), 91-101. Recuperado de: http://www.ssbfnet.com/ojs/index.php/ijrbs/article/view/201.

Silva, D. A., Silvano, Z. O. & Souza, J. A. C. (2018) Ergonomic Analysis of the Work in a Garment Industry in Laranjal - Minas Gerais. International Journal of Engineering Trends and Technology (IJETT), 64(2), 81-88. Recuperado de: http://www.ijettjournal.org/archive/ijett-v64p215.

Silva, F. J. C. & Carvalho, M. E. P. (2014) O estado da arte das pesquisas educacionais sobre gênero e educação infantil: uma introdução. In: Anais 18º Congresso REDOR - Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre a Mulher e Relações de Gênero Tema - Perspectivas Feministas de Gênero: Desafios no Campo da Militância e das Práticas, nov. 24/27. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE. Recuperado de: http://www.ufpb.br/evento/index.php/18redor/.

Silveira, L. M. & Petrini, M. (2018). Desenvolvimento sustentável e responsabilidade social corporativa: uma análise bibliométrica da produção científica internacional. Gest. Prod., 25(1), 56-67. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/gp/v25n1/0104-530X-gp-0104-530X3173-16.pdf.

Siqueira, A. R., Bellinati, E. T., Homem, M. J. & Shiraishi, N. Y. (2006). Intervenção interdisciplinar no setor alimentício: conhecendo e prevenindo agravos à saúde de trabalhadores adolescentes. O Mundo da Saúde, 30(1), 81-86. Recuperado de: http://www.revistamundodasaude.com.br/assets/artigos/2006/34/intervencao_interdisciplinar.pdf.

Souza, A. A. & Proença, R. P. C. (2004). Tecnologias de gestão dos cuidados nutricionais: recomendações para qualificação do atendimento nas unidades de alimentação e nutrição hospitalares. Rev. Nutr., 17(4), 425-436. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/rn/v17n4/22891.pdf.

Souza, A. A. (2001). O trabalho do Nutricionista e a gestão dos cuidados nutricionais: um estudo antropotecnológico em unidades de alimentação e nutrição hospitalares (Tese de doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: http://aspro02.npd.ufsc.br/pergamum/biblioteca/index.php#posicao_dados_acervo

Takahashi, M. A. B., Pizzi, C. R. & Diniz, E. P. H. (2010). Nutrição e dor: o trabalho das merendeiras nas escolas públicas de Piracicaba – para além do pão com leite. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 35(122), 362-373. Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0303-76572010000200018&script=sci_abstract&tlng=pt.

Teixeira, S. A., Luz, N. S., Oliveira, E. S., Almondes, R. S., Monte, C. A. M., Lucena, J. D. & Barros, H. B. (2015). Investigação dos riscos ambientais e ergonômicos em restaurantes privados de um município do Piauí, Brasil. Revista Intertox - EcoAdvisor de Toxicologia Risco Ambiental e Sociedade, 8(1), 113-130. Recuperado de: http://www.revistarevinter.com.br/autores/index.php/toxicologia/article/view/197.

Valença, J. B. M. & Alencar, M. C. B. (2017). Aspectos do trabalho e os distúrbios osteomusculares de trabalhadoras em um lactário de escola. Cad. Ter. Ocup., 25(1), 137-146. Recuperado de: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/1506/0.

Veiros, M. B. (2002). Análise das condições de trabalho do nutricionista na atuação como promotor de saúde em uma unidade de alimentação e nutrição: um estudo de caso (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/83961.

Vitiello, I. P. (2003) Avaliação das condições de trabalho e da produção no processamento de vegetais em cozinhas industriais. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. Recuperado de: http://www.producao.ufrgs.br/arquivos/publicacoes/Isabel_P_Vitiello.pdf.

Publicado
2019-12-05
Como Citar
Paula, A. H. de, & Bifano, A. C. S. (2019). PRODUÇÕES ACADÊMICAS BRASILEIRAS EM ERGONOMIA E SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO: BRAZILIAN ACADEMIC PRODUCTIONS IN ERGONOMICS AND BIBLIOGRAPHICAL STUDY. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 5(6), 19-37. Recuperado de http://periodicos.ufes.br/bjpe/article/view/27641