Cooperativismo e precarização do trabalho: estudo de caso no município de Lago do Junco-MA

  • Luciany Fusco Sereno Mestre em Desenvolvimento Socioespacial e Regional pela Universidade Estadual do Maranhão (UFMA)
  • Zulene Muniz Barbosa 1 Professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Maranhão (UFMA)

Resumo

O objetivo do presente trabalho é analisar os empreendimentos econômicos solidários em escala local, o modo como adquirem espaços em “tempos” de precarização do trabalho. A referência empírica são cooperativas de base popular que se estruturam como modelos alternativos de organização do trabalho em comunidades rurais da região do Médio Mearim. Examina-se particularmente o processo de formação e de organização do caso específico da Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Lago do Junco (COPPALJ), que se estruturaram com o apoio governamental e sindical, resultado da organização dos trabalhadores (as) em movimento social. A pesquisa aponta que a grande maioria dos extrativistas atuam de forma não cooperada devido às suas condições socioeconômicas precárias, mas não deixam de cooperar na comunidade com outros extrativistas e na família, isso faz parte da cultura local.

Referências

ABRAMOVAY, M.; RUA, M. das G. 2000. Violências nas escolas. Brasília: UNESCO no Brasil.

ALVES, G. 2000. O novo (e precário) mundo do trabalho: reestruturação produtiva e crise do sindicalismo. São Paulo: Boitempo.

ANDERSON, P. 1995. Balanço do Neoliberalismo. In: EMIR, S.; GENTILI, P. (Orgs.). Pós-neoliberalismo: As políticas Sociais e o Estado Democrático. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

ANTUNES, R. 2006. Os sentidos do trabalho: Ensaio sobre a afirmação e negação do trabalho. São Paulo: Editora Boitempo.

BARBOSA, Z. M. 2006. Maranhão, Brasil: Lutas de classe e reestruturação Produtiva em uma nova rodada de transnacionalização do capitalismo. São Luís: UEMA.

BIHIR, A. 1998. DA GRANDE NOITE A ALTERNATIVA: O movimento operário europeu em crise. São Paulo: Boitempo Editorial.

CHESNAIS, F. 1997. Capitalismo de fim de século. In: COGGIOLA, O. (org.). Globalização e socialismo. São Paulo: Xamã.

CORAGGIO, J. L. 2000. Da economia dos setores populares à economia do trabalho. In: KRAYCHETE, G. et al. (Orgs.). Economia dos setores populares: entre a utopia e a realidade. Rio de Janeiro: Vozes.

GAIGER, L. I. 1998. A solidariedade como alternativa econômica para os pobres. Contexto e Educação, v. 13, n. 50, pp. 47-71.

GOMES, O. 2005. Direitos Reais. Editora Forense. Rio de Janeiro.

HIRST, P.; THOMPSON, G. 1998. Globalização em questão. Petrópolis, Vozes.

LIMA, J. C. O. 2004. Trabalho autogestionário em cooperativas de produção: o paradigma revisitado. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 19, n. 56, pp. 45-62.

MARX, K. 1988. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultural.

NOVAES, J. R. P. 2007. Cooperativismo: Acumulação e mudança social. In: LOUREIRO, Maria Rita Garcia (Org.). Cooperativas agrícolas e capitalismo no Brasil. São Paulo: Cortez.

PACHECO, J. 2001. Globalização e (des)igualdades. Desafios contemporâneos. Porto: Porto Editora.

PAGOTTO, C. 2010. Produção associada na era da precarização estrutural: uma análise da atuação das cooperativas de trabalho. Tese de Doutorado apresentada ao Departamento de Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

PIRES, M. L. L. 2009. Cooperativismo, agricultura familiar e redes sociais na reconfiguração dos espaços rurais. Anais do Congresso Brasileiro de Sociologia: Consensos e Controvérsias. Rio de Janeiro.

POCHMANN, M. 2001. A década dos mitos: o novo modelo econômico e a crise do trabalho no Brasil. São Paulo, Contexto.

SENNETT, R. 2012. Juntos: os rituais, os prazeres e a política da cooperação. Rio de Janeiro: Record.

SILVA, M.; SILVA, S. 2010. Para além do acesso: uma análise da relação entre mercados institucionais e empreendimentos de economia solidária no meio rural. Mercado de Trabalho: Conjuntura e Análise, ano 16, n. 49, pp. 87-93.

SINGER, P. 2002. Introdução à economia solidária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo.

SINGER, P. 2000. A economia solidária no Brasil: a autogestão como resposta ao desemprego. São Paulo: Editora Contexto.

TIRIBA, L. 2001. Economia popular e cultura do trabalho: pedagogia(s) da produção associada. Ijuí: UNIJUÍ.

SWEDBERG, R. 2005. Max Weber e a ideia de sociologia econômica. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ.

WEBER, M. 1991. Economia e Sociedade. Brasília: Editora UnB.