De favelas e musseques: O espaco como resistencia da memoria em Conceicao Evaristo e Luandino Vieira

Gustavo Henrique Rückert, Cristina Arena Forli

Resumo


Se a colonização impôs a desagregação entre presente e passado ao violar os espaços sociais africanos, a representação literária de favelas e musseques em Conceição Evaristo e Luandino Vieira torna a aproximá-los. Este trabalho pretende então analisar o espaço nas obras Becos da memória e Nosso musseque. Para isso, toma a relação entre espaço e memória comunitária como aspecto comum às manifestações culturais oriundas da diáspora africana.

Palavras-chave: Espaço; memória; África.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.