Repressao policial e racismo - desde que o samba e samba, de Paulo Lins

Jorge do Nascimento

Resumo


A partir das circunstâncias de repressão policial narrados no romance Desde que o samba é samba, de Paulo Lins, identificaremos como essa prática estava associada a um pensamento pautado na ideia de hierarquia social  e cultural, vigente à época no Brasil. Como oposição à tentativa de disciplina imposta pela elite, destacaremos, a partir de dados da obra ficcional, o papel das casas de Candomblé como espaços de resistência de vital importância para o nascimento do Samba (e da Umbanda), construindo elos de convivência e solidariedade entre os negros.

Palavras-chave: Racismo; violência policial, samba, candomblé, Desde que o samba é samba. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.