Abstrações de Danilo di Prete na V Bienal de São Paulo e a crítica de Lourival Gomes Machado

Renata Dias Rocco

Resumo


O presente artigo tem como objetivo a discussão da produção do artista italiano Danilo di Prete (Pisa, 1911-São Paulo, 1985) apresentada na V Bienal de São Paulo, 1959, a qual foi idealizada por seu diretor artístico Lourival Gomes Machado. O artista trabalhava com a linguagem figurativa no início dos anos 1950, e se volta à vertente abstrata expressiva ao final do decênio em consonância como o movimento maior de valorização do tachismo internacionalmente e também no Brasil. Trata-se de uma reflexão acerca de Di Prete desenvolvida no âmbito da pesquisa de doutorado desenvolvida pela autora desde 2014 no programa de Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte da Universidade de São Paulo, sob orientação da Profa. Dra. Ana Gonçalves Magalhães (Professora e Curadora do MAC USP). Bolsa FAPESP.


Palavras-chave


Crítica de Arte, Bienal de São Paulo

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR, Nelson (org). Bienal Brasil século XX. São Paulo: Fundação Bienal, 1994.

ALAMBERT, Francisco & CANHÊTE, Polyanna. As Bienais de São Paulo: Da Era do Museu à Era dos Curadores (1951-2001). São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

CAT. EXP. I Bienal de São Paulo. São Paulo: Museu de Arte Moderna, 1951.

CAT. EXP. II Bienal de São Paulo. São Paulo: Ediam, 1953.

CAT. EXP. III Bienal de São Paulo. São Paulo: Ediam, 1955.

CAT. EXP. IV Bienal de São Paulo. São Paulo: Museu de Arte Moderna, 1957.

CAT. EXP. V Bienal de São Paulo. São Paulo: Museu de Arte Moderna, set.-dez., 1959.

FARIAS, Agnaldo (org.). Bienal de São Paulo. 50 anos. 1951-2001. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2001, edição bilíngue.

FERNANDES, Ana Cândida Franceschini de Avelar. Por uma arte brasileira: modernismo, barroco e abstração expressiva na crítica de Lourival Gomes Machado. Tese de doutorado, sob orientação de Domingos Tadeu Chiarelli, Departamento de Artes Visuais, ECA USP, defendida em agosto de 2012 – no prelo para publicação.

GOMES MACHADO, Lourival. “Bienal: a significação do novo”, O Estado de São Paulo, 17 setembro 1959.

______. “Bienal: o encontro”, O Estado de São Paulo, setembro 1959.

______. “Se nem sempre conseguiram os membros do Juri agir mais livremente, é porque traziam de seus governos expressa recomendação de conseguir prêmios para suas representações”, Folha da Manhã, s/d, 1952.

______. “Teoria inviável”, O Estado de São Paulo, 03 janeiro 1959.

PEDROSA, Mario. “Ainda o Envio a Veneza”, Jornal do Brasil, maio de 1960.

______. “Pintura Brasileira e gôsto internacional”, Jornal do Brasil, 19 novembro 1957.

“Primeira Bienal: espanto diante da vanguarda européia”, O Estado de São Paulo, 26 de agosto 1979


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.