Rastros dos corpos e suas projeções: um relato de experiência sobre o processo de criação

Matheus Saraçol Folha, Diego Dos Santos Soares, Carlos Eduardo De Oliveira Prado, Nádia Da Cruz Senna

Resumo


A experiência advinda do trabalho prático/poético é decorrente de um exercício visual provocativo e coletivo que problematizou corpos e seus rastros nos espaços sendo produzido e apresentado através de tecnologias.  Realizado na primavera de 2017, seguimos por uma metodologia e proposta dos processos criativos fundamentadas nas poéticas dos componentes do grupo, a discussão faz uso dos autores: Carlos Guinzburg, Edith Derdyk e Éliane Chiron para um rápido embasamento. A partir disso apresentamos a potência do trabalho em conjunto, sua possibilidade de criação única a partir de dispositivos tecnológicos contemporâneos, como a câmera digital e programa de edição e criação de imagem. Mostramos as questões do tempo passado, apresentado através do registro, e das possibilidades de um futuro ficcional, surgidos a partir do desenho e sua natural característica projetual.


Palavras-chave


Corpo. Índice. Rastro. Memória. Projeção.

Texto completo:

PDF

Referências


Nas ciências humanas fala-se muito, e há muito tempo de "representação", algo que se deve, sem dúvidas, à ambigüidade do termo. Por um lado, a "representação" faz às vezes da realidade representada e, portanto, sugere presença. Mas em contraposição poderia ser facilmente invertida: no primeiro caso, a representação é presente, ainda que como sucedâneo; no segundo ela acaba remetendo por contraste, á realidade ausente que pretende representar. (GINZBURG, 2001, p. 85).

“A presença corporal confirma o ser, o estar e o fazer do homem no mundo.” (DERDYK, 1990, p. 23).

O gesto como tensão seria, então, uma força (“energia”) que age inconscientemente de modo a deslocar, isto é a distanciar e a reatar. O gesto se desdobra no tempo da instauração da obra, que é também retroação dos gestos antigos (CHIRON, p21, 2004).

CHIRON, Éliane. Anatomia do gesto criador em uma prática do desenho. Revista Porto Arte: Revista de Artes Visuais, Porto Alegre, v. 23, n. 38, 2018.

DERDYK, Edith. O desenho da figura humana. São Paulo: Scipione, 1990.

GUINZBURG, Carlos. Olhos de Madeira: Nove Reflexões sobre a distância. Tradução: Eduardo Brandão. - São Paulo: Companhia das Letras, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.