Livro Redondo e Livro Socorro: O verbal e o visual nos livros-objetos de Hilal Sami Hilal

Maria Aparecida Ramaldes

Resumo


Neste artigo analisamos as obras: Livro Redondo (2005) e Livro Socorro (2011), de Hilal Sami Hilal, pensando-as como livros-objetos que guardam características próprias do livro convencional. E como tal, são também portadores da dimensão espacial e temporal.  Livros são construídos no presente e destinados ao futuro. Sua construção implica em questões como: forma, estrutura, materialidade, conteúdo e a relação entre leitor/objeto. No caso dos livros-objetos esta relação se faz com o espectador que pode manuseá-lo, observá-lo e até mesmo lê-lo, criando novas formas de interação táteis, visuais e legíveis. No espaço/tempo dos livros deste artista desenrolam-se suas escritas que aproximamos à Poesia Concreta brasileira, que deu início aos movimentos: concreto e neoconcreto. A partir desses movimentos surgiu, no Brasil, o livro de artista.

 


Palavras-chave


Livro de Artista; livro-objeto; escrita; poesia concreta; processo criativo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.