Tragédia, tradição e contemporaneidade

  • Fábio José Rios da Costa Instituto de Psicologia - UFBA
Palavras-chave: tragédia, trágico, mimese, teatro, cinema

Resumo

O artigo reflete sobre a pertinência de estudos sobre a tragédia e o trágico na contemporaneidade, remontando suas origens, apresentando a controvérsia entre os dois conceitos e investigando as condições atuais de sua ocorrência, especificamente no contexto cinematográfico.

Biografia do Autor

Fábio José Rios da Costa, Instituto de Psicologia - UFBA
Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas (POSCOM/UFBA) e graduado em Psicologia (UFBA), tem experiência na área de educação (formal, informal e EAD), coordenação de projetos educativos, formação de cineclubes em escolas, teoria de cinema e teatro, psicologia social, educacional e clínica, saúde mental e do trabalhador, metodologias participativas, organização comunitária e desenvolvimento sustentável, alfabetização científica, produção literária, dramaturgia e atuação (teatral, audiovisual e dublagem). Atualmente, é professor substituto no Instituto de Psicologia da UFBA e no curso de Psicologia da Faculdade São Bento, além de lecionar disciplinas em cursos de pós-graduação na área de Ciências Humanas e Sociais.

Referências

ARISTÓTELES. Poética. In A Poética de Aristóteles: Tradução e Comentários. GAZONI, Fernando Maciel. Dissertação de mestrado – Programa de Pós-Graduação em Filosofia do Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo/SP, 2006.

AUMONT, Jacques. (coord.) A Estética do filme. Campinas, SP: Papirus, 2009.

BENJAMIN, Walter. Origem do drama barroco alemão (Trad. de Sergio Paulo Rouanet). São Paulo, Brasiliense, 1984.

¬¬¬______. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras Escolhidas. Vol. 1. São Paulo, Brasiliense, 2010.

BRANDÃO, Junito. Mitologia grega, vols. I, II e III. Petrópolis: Vozes, 1986-1987.

DASTUR, Françoise. Hölderlin, tragédia e modernidade. In HÖLDERLIN, Friedrich. Reflexões. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

DOMENACH, Jean-Marie. Le retour du tragique. Paris: Seuil, 1967.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. 4ª edição – São Paulo: Martins Fontes, 2012.

HÖLDERLIN, Friedrich. Reflexões. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

JAEGER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1995.

JUNG, Carl Gustav (et al). O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1992.

LESKY, Albin. A Tragédia grega. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1996.

PLATÃO. A república (Trad. J. Guinsburg) Difusão Europeia do Livro (2 vol.), São Paulo, 1965.

SILVA JUNIOR, H. A. Walter Benjamin e a dimensão política da indústria cultural. In: III Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 2007.

TORRES, Eduardo Cintra. A tragédia televisiva. Lisboa: ICS, 2003.

TURNER, Victor. From ritual to theatre. New York: PAJ Publications, 1982.

VERNANT, Jean-Pierre & VIDAL-NAQUET, Pierre. Mito e tragédia na Grécia antiga. São Paulo: Editora Brasiliense, 2008.

WHITE, Roger. Televisão como Mito e Ritual. In: Revista de Comunicação & Educação, São Paulo: ECA-USP/ Moderna, [1]: 47 a 65, set. 1994; [2]: 65 a 75, jan. / abr. 1995.

Publicado
2015-06-24
Como Citar
Costa, F. J. R. da. (2015). Tragédia, tradição e contemporaneidade. Revista Do Colóquio, 5(8), 11-29. Recuperado de http://periodicos.ufes.br/colartes/article/view/9907