Listas literárias na Ilíada: expressão de poder do exército grego e de Aquiles

Ana Penha Gabrecht, Arnon Tragino

Resumo


A percepção de Umberto Eco sobre a existência de listagens na Ilíada é nossa motivação para entender a constituição de listas literárias como instrumentos de classificação que podem produzir efeitos diversos nos leitores. Tomamos como ponto de partida as ideias do autor desenvolvidas em A vertigem das listas (2010) e, considerando que o Catálogo das Naus, no canto II, e o escudo de Aquiles, descrito no canto XVIII, são listagens, acreditamos que elas têm o poder de provocar no leitor uma sensação de grandiosidade ao potencializar o poderio militar daqueles que estão combatendo na mítica guerra de Troia. Para comprovar tal afirmação analisaremos alguns dos elementos listados nos cantos, discorremos ainda sobre a relação entre Arqueologia e Literatura, na perspectiva de Zanon (2008), entre História e Literatura, de acordo com Revel (2010), e de que forma as listas estão envolvidas nesse meio, pelo pensamento de Eco (2010).

PALAVRAS-CHAVE: Literatura e História. Literatura e Arqueologia. Homero – Ilíada. Lista – Tema literário.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Ana Penha Gabrecht, Arnon Tragino

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.