O ARTIGO DEFINIDO NUMA ABORDAGEM DIACRÔNICA

Soelis Teixeira Mendes

Resumo


Conforme já se discutiu fartamente na literatura pertinente, o latim vulgar, em relação ao clássico, é mais simples, mais analítico, mais concreto e mais expressivo: as simplificações ocorridas na morfologia devido ao complexo sistema do latim literário e a fragilidade das desinências finais átonas contribuíram para mudanças no sistema flexional da língua dos romanos. Com tais mudanças o aspecto sintético alterou-se para um aspecto mais analítico o que contribuiu, consideravelmente, para a independência sintática dos constituintes na frase. Dentre as principais consequências, citamos a reestruturação do sistema dos pronomes demonstrativos clássicos: dos seis pronomes, apenas três foram conservados: iste, ipse e ille. Com a necessidade de indicar a categoria gramatical e uma melhor caracterização e identificação dos nomes, esses dois últimos pronomes, em especial o ille, passam a exercer a função das desinências então perdidas, dessa situação surge o artigo definido. Além de tratar do surgimento desse determinante, pretende-se, neste artigo, discutir quais foram as outras causas: semântica, textual-discursiva  e pragmático-discursiva que propiciaram a criação do artigo definido.


Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista (Con) Textos Linguísticos


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.