Ensino de escrita e letramentos: as propostas curriculares da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora (MG)

Tânia Guedes Magalhães

Resumo


Este trabalho objetiva apresentar o resultado de uma pesquisa que buscou analisar a presença e as implicações das práticas de produção escrita nos currículos da rede municipal de ensino de Juiz de Fora (MG), bem como a relação dessas práticas e com os gêneros textuais (BRONCKART, 1999; SCHNEUWLY e DOLZ, 2004). Uma vez que a escola é uma importante agência de letramento (KLEIMAN, 2007) e a construção do conhecimento é perpassada pela linguagem, objetivamos analisar as concepções que embasam as práticas de escritas presentes nos nove documentos da Secretaria de Educação. Utilizamos a análise documental como abordagem metodológica. Os dados apontam que vários gêneros textuais escritos estão na base do aprendizado de diversas disciplinas, demonstrando o papel central da linguagem na construção do conhecimento e na ampliação dos letramentos discentes. Entretanto, verificamos que a) a concepção de escrita está bastante centrada nas atividades pedagógicas avaliativas, nas diferentes disciplinas, na circulação de saber no interior da própria instituição; b) poucas são as atividades de circulação de gêneros textuais numa perspectiva social; e c) a escrita está centrada nas disciplinas, e não num viés interdisciplinar.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista (Con) Textos Linguísticos


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.