AVANÇOS DA CONTRARREFORMA NA SAÚDE INTENSIFICADAS A PARTIR DO GOVERNO ILEGÍTIMO DO TEMER

  • Maria Inês Souza Bravo UERJ
  • Maria de Fátima Siliansky de Andreazzi

Resumo

O objetivo do trabalho é analisar as contrarreformas da saúde a partir do governo Temer. Para tanto, recupera dos governos anteriores elementos que já fortaleciam a posição econômica e política do setor privado em saúde no Brasil. Este já havia passado, desde os anos 1980, por processos de concentração do capital. No governo Dilma, se destaca a abertura de todos os seus segmentos a inversões estrangeiras. O governo Temer é analisado a luz da crise herdada de 2015. Suas medidas vêm mais abertamente ao encontro dos interesses privados: o congelamento do gasto público e a flexibilização da oferta de seguros privados de saúde. Após a identificação da agenda dos interesses empresariais nesse período, se discute as perspectivas de Bolsonaro em função da perspectiva ultraliberal deste governo.

Biografia do Autor

Maria Inês Souza Bravo, UERJ

Professora Aposentada da UFRJ e UERJ. Integrante do Corpo Permanente do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UERJ. Pós-Doutora em Serviço Social pela UFRJ. Doutora em Serviço Social pela– PUC/SP.– Coordenadora do Grupo de Pesquisa registrado no CNPq “Gestão Democrática da Saúde e Serviço Social”. participante do PROCAD/CAPES intitulado "Crise do Capital e Fundo Público: implicações para o trabalho, os direitos e a política social": E-mail: mibravo@uol.com.br.

Maria de Fátima Siliansky de Andreazzi

Doutora em Saúde Coletiva/UERJ.Professora Adjunta da Faculdade de Medicina da UFRJ. Participante do Grupo de Pesquisa Gestão Democrática da Saúde e Serviço Social/UERJ...E-mail : siliansky@iesc.ufrj.br.

Referências

AGENCIA NACIONAL DE SAÚDE (ANS). Beneficiários de planos privados de saúde, por cobertura assistencial (Brasil – 2009-2019). Disponível em: http://www.ans.gov.br/perfil-do-setor/dados-gerais. Acessado em 31 de janeiro de 2019.

ANDREAZZI, M. F. S O Seguro Saúde Privado no Brasil. Dissertação de Mestrado. Instituto de Medicina Social da UERJ, 1991.

_____; BRAVO,MI; PACHECO, J. Novos agentes econômicos fomentados pela contrarreforma liberal na saúde: um panorama das organizações sociais atuantes no município do Rio de Janeiro, brasil In: A mercantilização da saúde em debate: As Organizações Sociais no Rio de Janeiro.1 ed.Rio de Janeiro : Rede Sirius, 2015, v.1, p. 61-69.

BANCO MUNDIAL Um Ajuste Justo: Análise da eficiência e equidade do gasto público no Brasil. Volume I. Síntese. Saúde: Uma alternativa para oferecer mais e melhores serviços. Brasília, 2017.

------------------ Propostas de Reformas do Sistema Único de Saúde Brasileiro. Brasília. s/d.Disponível em: <http://pubdocs.worldbank.org/en/545231536093524589/Propostas-de-Reformas-do-SUS.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2019

BRAVO,M.I.S.:PELAEZ, E. J.; PINHEIRO, W. N. As contrarreformas na política de saúde do governo Temer. In: Argumentum, Vitória (ES), v. 10, n. 1, p. 9-23, jan./abr. 2018.

CHESNAIS, F. A Mundialização do Capital. São Paulo: Xamã, 1996.

CHRISPIM,M. Por ande anda a atividade regulatória da Agência Nacional de Saúde Suplementar/ANS: um informe. Boletim Rumos, n. 2. IESC-UFRJ, mai/jun/jul de 2018.

FRENTE NACIONAL CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA SAÚDE – Plenária Final do VIII Seminário da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde: O Avanço do Capital sobre a classe trabalhadora ocorrido de 23 a 25 de novembro de 2018 em Porto Alegre/RGS.

GUIDI,S Planos de saúde acessíveis e a uberização da saúde. SaudeOnline.net, s/data. Disponível em: https://saudeonline.grupomidia.com/blog/planos-de-saude-acessiveis-e-a-uberizacao-da-saude/. Acessado em: 31 de janeiro de 2019.

HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1993.

INSTITUTO BRASILEIRO DE DEFESA DO CONSUMIDOR (IDECO). Disponível em: https://idec.org.br/noticia/organizacoes-se-mobilizam-contra-nova-lei-de-planos-de-saude. Acessado em 31 de janeiro de 2019.

INSTITUTO COALIZAÇÃO SAÚDE. Disponível em http://icos.org.br/. Acessado em 01 de maio de 2018

MAHIN,D. A agenda do capitalismo burocrático para a saúde: Mais ataque à poupança pública. A Nova Democracia, ano IX, nº 70, outubro de 2010.

MENEZES,J.S.B. As lutas por saúde no Brasil: o Projeto de Reforma Sanitária em face das Contrarreformas. Tese. Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016.

RUMOS n. 2 Banco Mundial, a pedido de Temer, recomenda reduzir acesso da população de cidades pequenas a hospitalização e ampliar a privatização para Organizações Sociais de Saúde. Rio de Janeiro, IESC-UFRJ, jun/jul/ago de 2018.

TORRES, R. Na Câmara, o SUS a perigo. Outra Saúde (Blog). 05 abr. 2019. Disponível em: < https://outraspalavras.net/outrasaude/na-camara-o-sus-a-perigo/ >. Acesso em: 19 abr. 2019.

Publicado
2019-06-25
Seção
Mesa Coordenada Contrarreformas na saúde e impactos no Serviço Social