OS MOVIMENTOS DA SAÚDE: ENTRE ADAPTAÇÕES E RESISTÊNCIAS NOS ANOS 2000

  • Juliana Souza Bravo de Menezes UERJ

Resumo

Este trabalho vai apresentar o resultado da investigação que enfatiza as lutas por saúde na atual conjuntura identificando as contribuições e os desafios da Frente Nacional contra a Privatização da Saúde na resistência às inflexões do Projeto de Reforma Sanitária Brasileira. Outro aspecto analisado é o transformismo das entidades e da maioria dos sujeitos sociais que participaram efetivamente do Movimento Sanitário, com o recuo das suas lutas sociais, bem como da sua produção teórica, abrindo mão do marxismo. Nesta direção, serão abordados os projetos em disputa com relação a Reforma Sanitária brasileira, a saber: o projeto das entidades que formularam o projeto inicial mas que flexibilizaram as suas propostas e o projeto defendido pela Frente Nacional contra a Privatização da Saúde

Biografia do Autor

Juliana Souza Bravo de Menezes, UERJ

Assistente Social do Hospital Federal de Bonsucesso /Ministério da Saúde-RJ). Doutora em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Integrante do grupo de pesquisa registrado no CNPq Gestão Democrática da Saúde e Serviço Social, da Faculdade de Serviço Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Publicado
2019-06-25
Seção
Mesa Coordenada Contrarreformas na saúde e impactos no Serviço Social