MUNDIALIZAÇÃO FINANCEIRA E AS TRANSFERÊNCIAS DE MAIS-VALOR: O CASO BRASILEIRO NO CONTEXTO DA AMÉRICA LATINA

  • Camilla dos Santos Nogueira Secretaria Estadual de trabalho, assistência e desenvolvimento social do Espírito Santo
  • Rodrigo Emanuel Santana Borges UFES
  • Aline Faé Stocco UFVJM

Resumo

Diante do processo de mundialização financeira, este estudo detalha uma dimensão central da nova fase de dependência dos países latino-americanos. A atração e conseqüente remessa de capital, na forma de investimentos diretos e portfólio, aprofunda a condição de dependência. No Brasil, onde esse processo ocorre de maneira particular, como conseqüência da atração contínua de capital, a vulnerabilidade externa torna-se mais aguda, e se moldeia o padrão de reprodução do capital.

Biografia do Autor

Camilla dos Santos Nogueira, Secretaria Estadual de trabalho, assistência e desenvolvimento social do Espírito Santo
Doutora em Política Social. Atualmente economista da equipe técnica de acompanhamento das ações socioeconômicas de recuperação da Bacia do Rio Doce, porção capixaba, alocada na Secretaria Estadual de trabalho, assistência e desenvolvimento social do Espírito Santo.
Rodrigo Emanuel Santana Borges, UFES
Doutor em Economia Internacional e Desenvolvimento. Bolsista FAPES/CAPES (EDITAL PROFIX) de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Política Social (PPGPS) da UFES.
Aline Faé Stocco, UFVJM

Doutora em Política Social. Professora Adjunta da Faculdade Interdisciplinar em Humanidades da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Ciências Humanas da UFVJM. 

Publicado
2019-06-25
Seção
Mesa Capital fictício na América Latina, transferências de mais -valor, golpe e contrarreformas no Brasil atual