AMBIENTALISMO E A EXPANSÃO DA SAMARCO: BASES DO CRIME AMBIENTAL DE MARIANA (2015)

  • André Ricardo Valle Vasco Pereira Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória (ES)

Resumo

Este trabalho faz parte de uma pesquisa mais ampla sobre o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), ocorrido em 2015. São apresentados resultados parciais de um dos temas do estudo, que lida com o isolamento dos movimentos ambientalistas e seu impedimento de questionar a expansão ampliada da Samarco Mineração. São apresentados o conjunto de atores que se articularam para defender este resultado, sem que fossem tomadas medidas adequadas para impedir o uso dos meios produtivos à exaustão, o que resultou no evento citado. O isolamento dos ambientalistas, neste sentido, foi fundamental para impedir o controle social da empresa. Após abordar a dinâmica do relacionamento entre estes atores, são consideradas as ações dos ambientalistas no sentido de tentar uma articulação mais ampla.

Biografia do Autor

André Ricardo Valle Vasco Pereira, Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória (ES)
Doutor em Ciência Política pelo IUPERJ; professor do Departamento de História da Universidade Federal do Espírito Santo.
Publicado
2019-06-25
Seção
Mesa coordenada Tragédia socioambiental da mineração em Fundão (MG): desafios e tensões da reparação via Fundação Renova