A REVOLUÇÃO PASSIVA NO ESTADO CAPITALISTA BRASILEIRO

  • Ana Karoline Nogueira de Souza
  • Cláudia Maria Costa Gomes

Resumo

Resumo

Este trabalho apresenta parte de uma pesquisa de Mestrado, em andamento, que tem como objetivo principal analisar a particularidade da formação do Estado burguês brasileiro, verificando se esse processo caracteriza-se pelo conceito gramsciano de revolução passiva. Nesses casos, a dominação da classe burguesa se impõe de forma autoritária, desorganizando e absorvendo as lideranças das classes subalternas no aparelho de Estado. Essa pesquisa baseia-se na perspectiva crítica de análise da realidade, a partir das aproximações ao objeto supomos que, o processo de constituição de um Estado burguês no Brasil, por meio de uma modernização pelo alto, desdobra-se na relação que passa a ser estabelecida entre a classe dominante e os subalternos, com uma crescente desorganização desses últimos.

Publicado
2019-06-25
Seção
Comunicações orais - Contrarreformas ou revolução: respostas ao capitalismo em crise.