REFORMA TRABALHISTA BRASILEIRA E TRABALHO INTERMITENTE: UMA ANÁLISE DE DISCURSO

  • Cassia Engres Mocelin
  • Gleny Terezinha Duro Guimarães

Resumo

Este artigo objetiva discutir as consequências da reforma trabalhista brasileira para a classe trabalhadora, cotejando em especial o trabalho intermitente, a partir da análise de discurso da reportagem “Ajustes na lei trabalhista em xeque”, publicada pelo jornal Zero Hora. Utiliza como pressuposto teórico-metodológico a Análise Crítica do Discurso de Teun van Dijk. O discurso aponta para a manipulação discursiva que as elites simbólicas do capital lançam mão para inculcar sua ideologia dominante e construir a legitimidade de práticas que representam a retirada de direitos da classe trabalhadora. Ademais, as modalidades de trabalho introduzidas pela reforma, representam novas formas de precarização e degradação do trabalho na sociedade brasileira, destituindo-o do caráter de direito social.

Palavras-chave: “Análise Crítica do Discurso”; “Classe Trabalhadora”; “Reforma trabalhista”; “Trabalho Intermitente”; “Teun Van Dijk”;

Publicado
2019-06-25
Seção
Comunicações Orais - Mundo do trabalho