O IMPACTO DA VIOLÊNCIA ESTRUTURAL NAS COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL

  • Patricia Krieger Grossi
  • Simone Barros de Oliveira
  • Ana Caroline dos Santos Ferreira

Resumo

Este artigo tem por objetivo compreender as experiências sociais das comunidades quilombolas no âmbito das políticas públicas, considerando as relações étnico-raciais e classe social no estado do Rio Grande do Sul. Trata-se de um estudo de enfoque misto e exploratório. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas e grupos focais com homens e mulheres quilombolas em 12 municípios do Estado. Os dados foram analisados com base em Bardin e à luz da teoria crítica. Conclui-se que o Estado, por meio da violência estrutural, produz um grave quadro de vulnerabilidade e exclusão social com a restrição do acesso aos direitos básicos desse segmento.

Palavras-chave: Políticas Públicas;Violência Estrutural; Comunidades Quilombolas; Rio Grande do Sul.

Publicado
2019-06-25
Seção
Comunicações Orais - Classe social, gênero, raça, etnia e diversidade sexual