A imagem do meio-dia nos escritos de Nietzsche sobre a Tragédia

Ítalo Kiyomi Ishikawa (UFPR)

Resumo


O meio-dia das Bacantes é a imagem escolhida pelo jovem Nietzsche para aludir ao nascimento das artes trágicas. A figuração apolínea da intuição dionisíaca tem na imagem do meio-dia o seu modelo exemplar, o êxtase disforme do Dionísio oriental é redimido pelo espírito grego numa arte da aparência sobre o palco do teatro ático. O artista apolíneo-dionisíaco, tal como as Mênades de Eurípedes, torna-se um avatar do Uno-Primordial, nele as contradições inerentes do existir se tornam suportáveis e a vida modulada em arte.

 

Palavras-chave: Jovem Nietzsche. Meio-dia. Apolíneo. Dionisíaco. As Bacantes.

 

Abstract

 

Bacchae’s midday is the image chosen by young Nietzsche to allude the birth of tragic arts. The apollonian image of the Dionysian intuition has in the midday image it’s exemplar model,  the amorphous ecstasy of oriental Dionysius is redeemed by the Greek spirit in an appearance’s art in the Theatre of Ancient Greece. The Apollonian-Dionysian artist, such as Euripides’ Maenads, becomes an avatar of the Primordial One, where the inherent contradictions of the existence become bearable and life moulds itself on to art.

 

Keywords: Young Nietzsche. Midday. Apollonian. Dionysian. The Bacchae.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Os números da Revista Estudos Nietzsche referentes aos anos de 2010 a 2014 encontram-se no Site: Estudos Nietzsche - PUC/PR