Metafísica de Carrascos

Oswaldo Giacoia Junior

Resumo


A metafísica da alma e a religião da culpa inventaram a liberdade da vontade para dar fundamento aos juízos de imputação – a invenção da liberdade (mesmo aquela inteligível) é metafísica de carrasco. Tendo dado início à história espiritual da Europa, ela termina, consuma-se e esgota-se ao transformar-se em seu contrário, na doutrina da inocência do devir. A negação da responsabilidade, que Nietzsche empreendera, ainda que sob formas diferenciadas, desde o Nascimento da Tragédia, constitui então o pivô, o centro nevrálgico da última e mais radical versão de seu programa filosófico.

Texto completo:

PDF

Referências


Boussinesq, J. Conciliation du véritable déterminisme mécanique avec l’existence de la vie et de la liberté morale. Paris: Gauthier-Villars, 1878.

F. Nietzsche: Sämtliche Werke. Kritische Studienausgabe (KSA). Ed. G. Colli/M. Montinari, Berlin/New York/München: de Gruyter/DTV. 1980.

Lefranc, J. Comprendre Schopenhauer. Paris: Armand Colin, 2002

Schopenhauer, A. Über die Freiheit des Willens. In: Sämtliche Werke. Ed. Wofgang Frhr. Von Löhneysen. Frankfurt/M: Suhrkamp, 1986, Band III.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Os números da Revista Estudos Nietzsche referentes aos anos de 2010 a 2014 encontram-se no Site: Estudos Nietzsche - PUC/PR