Nietzsche e a Fisiopsicologia da Vontade de Potência: Perspectivismo, Genealogia e Morfologia

Bárbara Lucchesi Ramacciotti

Resumo


Foucault (1982, 1985, 1997) defende que Nietzsche inaugura uma nova hermenêutica filosófica, cujo elemento central é o método genealógico (pesquisa genealógica). Para Müller-Lauter (1997), o perspectivismo da vontade de potência é o elemento central da teoria nietzschiana da interpretação. Pretendemos neste artigo, verificar as teses de Foucault e Müller-Lauter, para, em seguida, examinar a seguinte hipótese: a fisiopsicologia da vontade de potência é outra chave nuclear para compreender como opera essa nova hermenêutica filosófica ou teoria nietzschiana da interpretação. Para atingir os objetivos propostos dividimos a análise nos seguintes tópicos: 1. Teoria da Interpretação: Genealogia e Perspectivismo; 2. Fisiopsicologia da Vontade de Potência; 3. Morfologia da Vontade de Potência; 4. Vontade de Potência como Interpretação; 5. Perspectivismo não é um Relativismo radical.


Texto completo:

PDF

Referências


ASSOUN, Paul-Laurent. Freud e Nietzsche. São Paulo: Brasiliense, 1989.

BLONDEL, Éric. Le corp et la culture. Paris: PUF, 1986.

FOUCAULT, M. As Palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

__________. Nietzsche, Freud e Marx. São Paulo: Princípio, 1997.

__________. “Nietzsche a genealogia e a história”. In Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1982.

GIACÓIA, O. “O Grande Experimento: sobre a oposição entre Eticidade (Sittllchkeit) e Autonomia em Nietzsche”. São Paulo: Trans/Form/Ação, 12, p. 97-132, 1989.

DELEUZE. Nietzsche e a Filosofia. Tradução Antônio Marques. Porto: Rés, 2001.

HAAR, M. “Vie et totalité naturelle”, in Nietzsche et la Métaphysique. Paris: Gallimard, 1993.

HABERMAS. O Discurso Filosófico da Modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

HEIDEGGER, M. Dépassement de la mètaphysique”. in Essais et Conférences. Gallimard, Paris, 1990. Ensaios e Conferencias. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

_________. Sobre o Humanismo. Tradução Carneiro Leão. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1967.

HESSEN, J. Teoria do Conhecimento. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

LEBRUN, G. O Avesso da Dialética. Tradução Renato Janine. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

MÜLLER-LAUTER.“L’organisme comme lutte intérieure”, in Nietzsche – Physiologie de la Volonté de Puissance, Paris: Allia, 1998.

_________. A Doutrina da Vontade de Poder em Nietzsche. Trad. O. Giacóia. São Paulo: Anablumem, 1997.

NIETZSCHE, F. Sämtlihe Werke – Kritische Studienausgabe (KSA). Ed. Giorgio Colli e Mazzino Montinari, 15 volumes, Berlim: Walter de Gruyter & Co.,1988.

_________. O Nascimento da Tragédia (GT/NT). São Paulo: Cia das Letras, 1992.

_________. Filosofia na época Trágica dos Gregos.

_________. Humano, Demasiado Humano (MAI/HHI). São Paulo: Cia das Letras, 2000.

_________. A Gaia Ciência (FW/GC). Trad. P.C. Souza. São Paulo: Cia das Letras, 2001.

________. Assim Falou Zaratustra (Za). Tradução de Mário da Silva. 5ª ed. São Paulo: Bertrand Brasil, 1987.

_________. Além do Bem e do Mal (BM). Trad. Paulo C. Souza. São Paulo: Cia das Letras, 1992.

__________. Genealogia da Moral (GM). Trad. Paulo C. Souza. São Paulo: Cia das Letras, 1998.

PALESTINO, Caetano. Relativismo Cognitivo. Universidade de São Paulo (mimeo).

PETERS. Termos Filosóficos gregos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1983.

RAMACCIOTTI, B.L. Fisiopsicologia experimental da vontade de potência: como filosofar com o corpo. 222f. Tese (Doutorado em Filosofia) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

__________. “Nietzsche e a ciência: do Romantismo ao novo Esclarecimento”. In Artefilosofia, Ouro Preto, UFOP, v.11, p.127-143, 2011.

__________. “Nietzsche e Habermas no Tecido da Dialética do Esclarecimento”. Philósophos, (UFG), v.16, p.209-245, 2011.

_________. “Nietzsche: Fisiologia como fio condutor”. Estudos Nietzsche. Curitiba (PUC-PR), vol.3, n.1, p.65-90, jan./jun. 2012.

_________. “Filosofia Dionisíaca: vir-a-ser em Nietzsche e Heráclito”. Cadernos Nietzsche 1, São Paulo (GEN-USP), p. 53-68, 1996.

WOTLING, Patrick. “Statut et structure de la psychologie dans la pensée de Nietzsche”. in Nietzsche Studien, band 26. Berlin: Walter de Gruyter, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Os números da Revista Estudos Nietzsche referentes aos anos de 2010 a 2014 encontram-se no Site: Estudos Nietzsche - PUC/PR