Educação patrimonial e fotografia: o Projeto Clic@r Itapina e o resgate da memória local.

André Malverdes, Anderson Gomes Barbosa

Resumo


Analisa as ações de educação patrimonial utilizando fotografias de acervos pessoais, como linguagem artística, para expressar as manifestações culturais de uma comunidade, com o objetivo de verificar sua relação com o sentimento de pertencimento à história local e com a valorização do seu patrimônio cultural. A abordagem do problema se deu por meio de pesquisa quantitativa (instrumentos estatísticos) e qualitativa, utilizando-se a dedução como método de investigação para avaliar a efetividade das ações para a sociedade. Apurou-se que a oficina de educação patrimonial apresentou conteúdo relevante e que seus produtos causaram impactos socioculturais positivos. Concluiu-se que a metodologia de educação patrimonial aplicada pela equipe do projeto Clic@r Itapina foi eficiente para o propósito de despertar o sentimento de pertencimento e foi uma forma de valorizar a cultura local. A hipótese também foi confirmada, pois quanto mais se disponibilizou o acesso às fotografias, mais sentimentos afetivos foram despertados, trazendo boas lembranças. Em análise final, verificou-se que o conteúdo informacional das fotografias remete ao sentimento de pertencimento e à valorização do patrimônio cultural.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30712/guara.v6i10.16948

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Guará